LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

Aprenda a fazer um Plano de Negócios sem complicação

Confira o que rolou no webinar com o professor Eduardo Vilas Boas

Quando o assunto é começar um negócio próprio, existe uma série de iniciativas que devem ser tomadas e que nem sempre são tarefas prazerosas ou fáceis de realizar. E há, também, aquelas missões supertemidas, mas que, na verdade, não são nenhum bicho de sete cabeças, como é o caso do Plano de Negócios.

O documento ajuda o empreendedor a traçar um retrato fiel do mercado, do produto e do público-alvo e, até mesmo, ou melhor, principalmente, conseguir aporte financeiro para o novo negócio.

O plano vai orientá-lo na busca de informações detalhadas sobre o seu ramo, produtos e serviços, clientes, concorrentes, fornecedores e, principalmente, sobre os pontos fortes e fracos do negócio, contribuindo para a identificação da viabilidade de sua ideia e a gestão da empresa.

Sentiu a importância? É esse peso que ele tem no nascimento de um negócio que deixa alguns empreendedores assustados. Mas o professor Eduardo Vilas Boas, especialista no assunto, desmistifica este tema e ensina o passo a passo para a construção do documento.

Durante webinar da Academia UOL HOST, que você pode conferir logo abaixo, o professor listou os principais objetivos de um Plano de Negócios, tais como: testar a viabilidade de um conceito de negócio, orientar o desenvolvimento das operações e estratégia, atrair recursos financeiros, transmitir credibilidade e desenvolver a equipe de gestão.

Além disso, ele falou qual é o tamanho e o formato das ideias do documento, tópicos e estrutura sugerida e o que deve conter em cada um dos pontos abordados, que são: conceito do negócio, mercado e competidores, equipe de gestão, produtos e serviços, estrutura e operações, marketing e vendas, estratégia de crescimento, planejamento de RH e planejamento financeiro.

Confira o vídeo completo:

E ainda não acabou. Temos mais conteúdo para você! O professor Eduardo Vilas Boas respondeu a algumas perguntas inéditas, que não conseguiu responder ao vivo, com exclusividade para os leitores da Academia UOL HOST. Veja só:

Podemos utilizar como taxa de retorno, no mínimo, a poupança ou Letras do Tesouro?

É difícil estabelecer uma taxa de retorno que seja adequada a todos os tipos de negócio. A poupança ou as Letras do Tesouro são opções interessantes, mas que podem ser perigosas se utilizadas sem a atenção necessária. Tanto poupança quanto Tesouro são opções com risco muito baixo, portanto, ao compará-las com negócios de alto risco espera-se que o retorno do negócio seja muito maior (em razão da relação risco x retorno).

Você pode procurar taxas de retorno que são utilizadas no setor em que vai atuar. Em alguns casos, essa informação está disponível. Outra opção é identificar qual é a taxa de retorno de uma empresa do mesmo setor em que você vai atuar e que tem capital aberto (portanto, que divulga suas informações) e utilizá-la.

Quem já entende um pouco mais de finanças também pode buscar o site do professor Damodaran e criar sua própria taxa, usando as informações de risco do país em que vai atuar, do setor etc.

Comprei uma empresa de software que já tem 20 anos de mercado, mas o software é ultrapassado em relação aos demais do mercado. No entanto, tenho um novo software em andamento. No PN eu descrevo ambos os softwares?

No Plano de Negócios você vai descrever o histórico da empresa e do software que comprou, demonstrando como eles te agregam valor em razão do conhecimento do mercado, da base de clientes que já possui e outras coisas que você considera importantes. Depois disso, você vai explicar que tem um novo software em desenvolvimento e descrever os benefícios dessa nova tecnologia. O foco do PN para o futuro deve ser o novo software, quando se fala em produto e tecnologia.

Como calcular a porcentagem do negócio a ser oferecida ao investidor em função do valor investido hoje?

Esta é uma questão bastante complexa para ser respondida em poucas linhas. De maneira geral, você deve calcular o valor da sua empresa hoje (existem várias técnicas de avaliação de empresas para calcular esse valor, e eu explico algumas delas no canal do YouTube da Empreende.vc) e qual o investimento necessário. Com base nessas duas informações, você consegue saber qual a porcentagem a ser oferecida ao investidor de acordo com o montante do investimento.

Note que este é um valor inicial e racional, mas, como em qualquer negociação, pode ser alterado por diferentes fatores.

Não deixe de conferir os outros webinars em nossa galeria.